terça-feira, 5 de junho de 2007

A campanha Eleitoral da UDT

Desde o dia 29 de Maio que andamos pelos distritos, sensibilizando, conversando, dialogando com as populações do interior.
A UDT privilegiou o contacto directo com o povo em detrimento dos grandes comícios nos quais nunca é fácil ouvir os seus problemas reais.
Tem sido bastante produtivo e, através dos contactos estabelecidos suco a suco, aldeia a aldeia, porta a porta, ficamos a saber quão difíceis são as condições de vida das gentes do interior.
A campanha eleitoral faz-se simultaneamente nos 13 distritos do país, onde cada grupo de cinco candidatos a deputados estabelecerá contacto com as populações locais através do contacto porta a porta.
O grupo de cinco candidatos adstrito a cada distrito é dirigido por um coordenador* e tem percorrido todas as localidades onde contactam com os problemas reais e específicos de cada uma delas, ao mesmo tempo que fazem a difusão da plataforma política da UDT e apresentam alternativas para a resolução de problemas como a
Pobreza, a Ignorância, a Injustiça, a Corrupção, a Conspiração e o Nepotismo e a Mentira Política.
No dia 9, iniciaremos a segunda fase da campanha. O começo vai ser em Liquiçá e o fecho será no dia 27, em Ermera.
O Presidente do Conselho Superior Político da UDT e cabeça da lista de candidatos a deputados apresentados pela UDT iniciará a ronda pelos 13 distritos, acompanhado por todos os membros do CSP; será feita a avaliação das acções de campanha do 1º período, intensificando os contactos com as populações, representantes da sociedade civil e filiados e simpatizantes da UDT.
Em cada distrito, João Viegas Carrascalão falará sobre o programa político para o período 2007-2012, abrangido pela Plataforma Política da UDT.

Face aos acontecimentos violentos de Viqueque dos quais resultaram três mortos e às notícias de hoje que dão como certo um ataque à caravana de outro partido em campanha pelo Leste, reina algum receio natural sobre o que nos poderá acontecer.
A UDT tem pautado a sua conduta por uma atitude tolerante e contra a violência.
Esperamos que a Democracia vença e que todos os partidos possam realizar os seus comícios sem serem alvo de actos violentos que não dignificam em nada o nosso país nem o nosso Povo. ´
É tempo de implementarmos o que assumimos no dia 25 de Maio, quando assinámos o Acordo dos Partidos Políticos com vista regular o comportamento dos partidos durante a campanha eleitoral em curso.
A Democracia vale a pena e é altura de trabalharmos seriamente e com honestidade para a sua solidificação em Timor-Leste!

* Candidatos coordenadores de distritos:

Aileu, Augusto Mendonça ;

Ainaro, David Rafael Soares;

Baucau ,João de Brito Gusmão Ximenes

Díli , Sabina Fonseca/Cândido Gusmão

Ermera , Augusto Júnior Trindade

Liquiçá ,Silvestre de Oliveira

Lospalos, Jaime Lemos Correia Moniz
Maliana , Cipriano Januário Gonçalves da Costa

Manatuto , Câncio de Jesus Oliveira

Oécussi ,Inácio Tertuliano Hermenegildo

Same , Nazário Tilman de Andrade

Suai,Luís Vaz Rodrigues

Viqueque, Filomeno Belmiro da Costa Guterres



Entretanto, a UDT apresentou hoje junto da CNE/Comissão Nacional de Eleições e do STAE/Serviços Técnicos de Apoio Às Eleições um protesto pela apropriação indevida pela FRETILIN do lema do nosso partido "Husi Povo, Ho Povo, Ba Povo" .

6 comentários:

Joao disse...

Uma vez que a Fretilin tem estado a utilizar, como se fosse seu, o Lema da UDT “Husi Povo, Ho Povo, Ba Povo“, atitude esta que confirma o deserto de ideias que caracterizou os anos de governo da Fretilin desde 2001, acho que não basta um simples protesto junto da CNE. É preciso insistir neste ponto, divulgá-lo publicamente e insistir junto da CNE, por escrito, indagando o que é que a CNE pretende fazer, se o vai fazer e quando? É preciso exigir uma resposta.
João Lagarto

Joao disse...

Quando os partidos políticos se prestaram a assinar o “Código de Conduta”, algum dos líderes levantou o problema de que os responsáveis pela CNE e pelos STAP também teriam de o assinar? É que se estes últimos não foram compelidos a assiná-lo o mais certo é que nas próximas contagens de votos continuem a ocorrer atitudes nada honestas que ficarão sem qualquer castigo ou penalização!
João Lagarto

Jose Luis Darwin disse...

uarta-feira, Junho 06, 2007
GRUPO MUDANÇA: "DESONESTO E ILEGÍTIMO"

Vota para a FRETILIN!
Eleições Legislativas 2007

"Defendamos a independência de Timor-Leste"

Comunicado a imprensa
6 Junho 2007


Arsénio Bano, membro do Comité Central da FRETILIN e candidato a deputado pela lista da FRETILIN, acusou hoje o auto-denominado "Grupo Mudança", de desonesto e ilegítimo. "O grupo Mudança violou a Lei Eleitoral e o Código de Conduta por participar na campanha eleitoral
do Congresso Nacional de Reconstrução Timorenses (CNRT) liderado pelo ex-Presidente da República, José Alexandre Gusmão" disse Bano.

Bano afirmou que "os membros do referido Grupo fazem a campanha a favor do Congresso Nacional de Reconstrução Timorense utilizando a denominação e os símbolos da FRETILIN. Bano referiu em particular ao artigo 64 da referida lei que estatui:

"Aquele que durante a campanha eleitoral utilizar o nome de um candidato ou símbolo de qualquer partido com o intuito de os prejudicar ou injuriar é punido com pena de prisão de 1 mês ou multa de 50 a 150 USD".

"A autodenominada Fretilin Mudança não consta no registo no Ministério da Justiça nos termos da lei n° 3/2004, de 14 de Abril. Assim, o grupo não tem personalidade jurídica nem capacidade
judiciária", continuou.

O Grupo tem estado a actuar fora do círculo da FRETILIN contrariando assim as regras da militância definidas no âmbito dos estatutos do partido. Alguns dos seus membros são candidatos a deputados pela lista do CNRT mas continuam a identificar-se publicamente como membros do partido FRETILIN tentando assim manipular ou confundir o eleitorado. Eles tencionam dividir o partido e os seus apoiantes em benefício do CNRT.

"Tais manobras politicas constituem um grave atentado aos princípios democráticos.

Isto é particularmente grave num país onde quase metade do eleitorado é analfabeta,"afirmou Bano.

Bano continuou: "Eles não têm o direito de usar o nome do nosso partido. Nenhum indivíduo ou grupo de indivíduos está acima do partido. A FRETILIN sobreviveu porque tem vindo a pautar-se pelos princípios de organização. Democracia e disciplina são aspectos importantes para a nossa organização obrigando a que todos os membros do partido a acatar decisões adoptadas pela maioria. Quem tenha saído das estruturas do partido e não obedeça as regras partidárias e faça campanha contra nós em beneficio doutro partido, perde o direito de reivindicar como membro do nosso partido. Todos os partidos democráticos actuam assim em todo o mundo."

Para mais informações, contacte com Arsénio Bano +670 7339416 ou
escreva para fretilin.media@gmail.com

www.fretilin-rdtl.blogspot.com, www.timortruth.com

Publicada por Malai Azul em 21:09 0 comentários Hiperligações para esta mensagem

Por esta ordem de ideias Os Camaradas terao que ir para acadeia por um mes ou pagar a multa por usarem o que e da UDT.

J Lafaek

Domingos disse...

Desejo uita boa sorte na campanha que os candidatos da UDT estao a fazer porta a porta. Que Deus os ajude e ilumine as suas inteligencias e lhes conceda dom da palavra para convencer o povo.
Oan ki'ak

Domingos disse...

Parabens a quem incluiu o hino da UDT neste blog da campanha. Que a melodia e as palavras calem bem fundo em muitos coracoes e que o povo corresponda ao convite a unidade da UDT para a justica, a paz e o progresso de Timor-Leste!....

Oan ki'ak

Jose Luis Darwin disse...

Parabens e corajem para todos os Udetistas que neste momento lutando contra todas as adversidades estao no terreno a defender os principios defendidos pela UNIAO DEMOCRATICA TIMORENSE um "partido do povo para o povo e com o povo".
Que o sacrificio dos que tombaram opela libertacao de Timor Oriental sob a bandeira da UDT nao sejam esquecidos. Pela Justica Social pela liberdade por uma sociedade mais justa a UDT tem ganhar para que o povo possa respirar de novo livre da corrupcao da opressao economica e viver com dignidade.